Retomada do esporte é marcada por trabalho conjunto do Governo do Paraná
17/12/2021 - 16:29

Em um time, cada jogador possui uma função, responsabilidade e posição em quadra ou em campo. Cada atleta da equipe importa e faz a diferença na hora de levá-la à vitória. Durante o ano de 2021, a Superintendência Geral do Esporte precisou fazer jogadas estratégicas e ensaiadas para vencer a Covid-19, trabalhando em conjunto com outros setores. O reforço veio da Secretaria de Estado de Saúde (SESA) com a elaboração dos protocolos sanitários, garantindo a retomada do esporte no Paraná. Os resultados foram exitosos: foram realizadas 11 competições, com execução de três programas e cinco novos projetos, concretizando um esforço coletivo em prol do esporte, da saúde e do bem-estar da população paranaense.

A Superintendência Geral do Esporte contou com o apoio de todo seu quadro funcional – com os polos regionais, terceirizados, estagiários e bolsistas, 162 pessoas trabalharam diretamente na retomada do calendário esportivo. Segundo o diretor de esportes, Cristiano Del’Rei, foi necessário um planejamento cauteloso com revisão técnica das competições e reformulação dos formatos. Somando a isto, a validação de um protocolo sanitário em parceria com a SESA. “O grande desafio foi convencer toda a comunidade que os protocolos adotados trariam a segurança para todos os participantes”, explica.

Em agosto, os Jogos Escolares do Paraná (JEPs) deram o pontapé inicial no calendário, totalmente reestruturado, visando a segurança dos alunos-atletas – com alojamento apenas para finalistas, mais ônibus de deslocamento, mais datas de jogos e sem a presença de público, entre outras medidas.

A coordenadora dos JEPs, Márcia Tomadon Moreira, conta que foi preciso muito planejamento e que todos os participantes (atletas, técnicos, arbitragem e membros da organização) foram testados antes da competição. “Os testes deram credibilidade e segurança. Precisamos ter coragem para realizar o evento e foi a melhor decisão. A maior alegria foi ver nossos atletas seguindo para a etapa nacional e conquistando o primeiro lugar geral dos Jogos Escolares Brasileiros”, relembra Marcia.

Neste ano, 11 competições foram realizadas: Verão Consciente, Jogos Escolares do Paraná, Jogos Universitários do Paraná, Jogos da Juventude do Paraná, Jogos Abertos do Paraná, Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná, Jogos de Aventura e Natureza, Jogos Abertos do Paraná: Master, Jogos da Integração do Idoso, Paraná Combate e Paraná Bom de Bola. Ao todo, cerca de 135 mil pessoas foram envolvidas diretamente pelas competições do Governo do Paraná.

“O estado do Paraná foi um dos primeiros a retomar os Jogos Escolares e todos os outros jogos que fizemos contaram com protocolo rígido de saúde desenvolvido em conjunto com a Secretaria de Saúde. Fica aqui nossa gratidão ao secretário de saúde Beto Preto e sua equipe, e ao governador Ratinho Junior, pela responsabilidade e apoio que deram ao esporte para que isso acontecesse naturalmente e normalmente. Ficamos com sentimento de gratidão após todo trabalho desenvolvido”, enfatiza o superintendente geral do esporte, Helio Wirbiski.

>>>>>> Confira todas as ações da Superintendência do Esporte 

A partir de 27 de dezembro, a Superintendência Geral do Esporte inicia as atividades nas praias paranaenses. Guaratuba, Matinhos, Pontal do Paraná, Ilha do Mel, Antonina, Morretes, Guaraqueçaba e o noroeste do estado (Porto Rico e São Pedro do Paraná) contarão com diversas ações promovendo o esporte e o lazer para a população em geral. Com 250 profissionais, a expectativa é realizar mais de 350 mil atendimentos, entre atividades esportivas, de lazer e recreação.

NOVA VIDA – A frase “o esporte transforma vidas” pode parecer clichê para a maioria, mas é verdadeira e adequada, especialmente para Anna Beatriz da Silva Santos. Em junho de 2019, Anna foi atropelada por um carro e ficou paraplégica. Depois da longa recuperação, a natação surgiu como lazer e também como reabilitação.

Neste ano, participou das suas primeiras competições, estreando nos Jogos Escolares do Paraná que a credenciaram a participar da 14ª edição das Paralimpíadas Escolares. “Até os jogos, a Anna não tinha vivido ou estado com outras pessoas com deficiência. Em São Paulo, ela viveu uma experiência incrível que mostrou que ela pode tudo, inclusive namorar.  Para nossa família, o esporte e a própria competição foram presentes. A Anna voltou diferente, mais desenvolvida e ainda mais guerreira”, conta a mãe de Anna, Quesia da Silva José dos Santos.

A atleta conquistou três ouros na competição – 50m livres, 100m livres e 50m costas. Para Quesia, o esporte pode ser uma motivação para a filha iniciar os estudos em Educação Física ou para continuar competindo. “Ela percebeu que a deficiência dela não é limitação, conhecer outros atletas foi incrível”, relembra.

 

 

GALERIA DE IMAGENS