PARAJAPS marcam o retorno das competições paradesportivas no Paraná; disputas acontecem neste fim de semana
26/10/2021 - 17:09

O início dos Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná (PARAJAPS) ocorre nesta sexta-feira (29) e prosseguem até domingo (31), em Londrina (PR). Em sua 9° edição, são uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Superintendência Geral do Esporte, e contam com o apoio das Prefeituras Municipais e Entidades que atuem comprovadamente com o paradesporto do Paraná.

O evento espera reunir mais de 1.600 pessoas, entre atletas, organizadores, arbitragem e dirigentes. As disputas iniciam na sexta-feira e encerram no domingo (31), e contam com equipes de 29 cidades participantes. O Superintendente da Paraná Esporte, Helio Wirbiski, estará presente para acompanhar as competições.
 

“O paradesporto hoje é prioridade dentro do Governo. Dentro de um planejamento completo de inclusão, estamos dando toda a condição de viagem e hospedagem aos atletas, para que eles venham competir.”, explica Wirbiski. “São quase 1500 atletas. Não há dúvidas de que será um grande evento.”
 

A atual edição dos PARAJAPS apresentará 14 modalidades: atletismo, basquetebol em cadeira de rodas, bocha adaptada, goalball, golf 7, handebol em cadeira de rodas, natação, parabadminton, paracanoagem, paraciclismo, parataekwondo, tênis de mesa, vôlei paralímpico e xadrez.
 

A maior delegação será a de Cascavel, com 224 integrantes. Lembrando também que a capital paranaense é a maior vencedora de todas as edições da competição desde sua criação.
 

Sobre o PARAJAPS e a retomada do paradesporto no Paraná
 

parajaps

 

O primeiro PARAJAPS estreou em 2012, em Londrina. Similar aos Jogos Abertos do Paraná, é destinado a adultos de todas as idades. Junto a outras ações voltadas exclusivamente para pessoas com deficiência, possui como meta o engrandecimento do atleta paralímpico. 
 

Neste aspecto, o Governo do Estado patrocina e subsidia toda a competição. É o única do estado a oferecer alimentação e hotelaria gratuita aos atletas. Dada a importância do evento, é por muitos considerado o “corpo” do paradesporto no Paraná. 
 

Em 2020, entretanto, precisou ser cancelado devido á COVID-19. Tal decisão fazia parte das ações tomadas para o enfrentamento da pandemia e das normativas impostas pelos decretos publicados pelo Governo do Estado do Paraná. Para Mario Sergio Fontes, coordenador do paradesporto no Paraná, a edição atual marca, antes de tudo, a retomada de todo o programa do paradesporto paranaense. 
 

“Para nós, esse é o fator mais importante: o retorno das equipes, dos municípios, das ações e dos projetos voltados ao paradesporto”, explica ele. “Claro, ainda temos preocupações com a pandemia, mas este é um novo momento e temos a certeza de que estamos voltando a realizar eventos esportivos no Paraná". 
 

PARAJAPS e as demais ações de incentivo aos paratletas 

 

À esquerda, o Governador Carlos Massa Ratinho Junior. De azul, Helio Wirbiski, superintendente do Esporte.
À esquerda, o Governador Carlos Roberto Massa Júnior. De azul, Helio Wirbiski, superintendente do Esporte.

 

Além de toda a participação, convivência e experiências enriquecedoras oportunizadas pelo esporte, grande parte dos atletas tem como objetivo de vida alcançar o topo, conquistar o maior título e sair do país em competições da sua modalidade. 


Por essa razão, e por ser a maior manifestação paradesportiva do Paraná, os atletas que competem no PARAJAPS costumam alçar voos mais altos, como campeonatos brasileiros e internacionais. É o caso de alguns conhecidos, como Marcelo Santos, da bocha paralímpica, Mari Santilli, da paracanoagem, ou Daniel da Silva, do vôlei sentado. Os três retornaram recentemente das paralímpiadas de Tóquio e já passaram por várias edições do PARAJAPS até se tornarem atletas de alto rendimento.


“Temos vários atletas que começaram conosco nos Jogos Escolares do Paraná e jogaram os PARAJAPS, ou seja, são atletas nossos e que fazem parte da nossa carreira”, explica o coordenador, referindo-se também ao impacto positivo que os jogos oficiais do estado e os diversos programas de incentivo geram nos atletas. 


Como exemplo, é possível citar o Paraná Mais Cidades, programa que busca levar aos municípios paranaenses equipamentos que possibilitem a prática esportiva de atletas com deficiência; o Geração Olímpica e Paralímpica, programa de incentivo ao esporte na modalidade bolsa-atleta e conta com o patrocínio exclusivo da Companhia Paranaense de Energia; e o PROESPORTE, que permite ao contribuinte do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) destinar parte do valor do imposto a recolher para projetos esportivos credenciados pela Superintendência Geral do Esporte.


“Tudo isso faz parte de uma cadeia de ações que visam fortalecer o atleta, fidelizá-lo no Paraná e também incentivar a vinda de atletas de outros estados, que encontram em nós o apoio financeiro e estrutural para o seu treinamento”, finaliza Mario Sergio. 
 

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias