Esporte

2/7/2019 12:30:00

Ginastas paranaenses, medalhistas no Pan-Americano, vão se apresentar nos JEPS

A equipe juvenil de conjunto de ginástica rítmica (GR), que conquistou três medalhas no Campeonato Pan-Americano Juvenil, representando a seleção brasileira juvenil de conjuntos, fará uma apresentação no início das competições da modalidade na fase final dos Jogos Escolares do Paraná, que acontecem entre os dias 12 e 20 de julho, em Apucarana.

O resultado no Pan realizado de 12 a 16 de junho em Monterrey, no México, garantiu vaga para o Campeonato Mundial em Moscou, na Rússia, entre 19 a 21 de julho. As ginastas são da equipe UNOPAR/Fundação de Esportes de Londrina.

.
Equipe juvenil de conjunto que representou o Brasil na competição. (Foto: Divulgação)

Campeãs no conjunto de 5 fitas, com a nota 16,250 as ginastas levaram o título após uma excelente apresentação que levantou o público do ginásio ao som de Cher, deixando o México em segundo lugar e o Canadá na terceira posição. No conjunto de 5 arcos, apresentando com a música tema do filme Rio, o Brasil terminou em segundo lugar com 17,700, tendo México em primeiro e Estados Unidos em terceiro lugar. No conjunto geral, o Brasil também ficou na segunda colocação, com México campeão e Estados Unidos terceiro colocado.

Na competição individual, a representante do Paraná foi Mariana Gonçalves, do Clube AGIR de Curitiba, que finalizou a competição em 8º lugar geral e foi finalista nos aparelhos bola e maças, ajudando o Brasil a ficar na 4ª posição individual por equipes.

O Pan-Americano é uma importante competição para estas ginastas que já levaram o título Sul-Americano em 2018. Para Juliana Coradine, treinadora da equipe do UNOPAR, foi um resultado muito importante para a Ginástica Rítmica do Brasil. “Foi uma participação muito positiva, estas ginastas treinam juntas há oito anos e já foram campeãs sul-americanas em 2015, quando estavam no pré-infantil e 2018, na categoria juvenil. É muito importante o trabalho de base feito na UNOPAR, de onde já saíram muitas das ginastas que integram ou integraram a seleção brasileira adulta”.

Para a treinadora do individual Kareen Priscila Cunha da AGIR, Mariana fez uma boa apresentação representando o Brasil pela primeira vez no campeonato Pan-Americano, na categoria juvenil. “Ela vem se preparando desde março com treinos intensos e esta competição servirá como amadurecimento para o Mundial em Moscou, uma vez que tem apenas 14 anos e é muito muito dedicada e extremamente feliz por representar o seu país.”

Segundo a presidente da Federação Paranaense de Ginástica e árbitra brasileira que atuou na competição, Márcia Aversani, o resultado do Pan-Americano mostra a consolidação do trabalho que vem sendo feito na modalidade nas últimas duas décadas.

“O Conjunto do Brasil vem obtendo ótimos resultados desde a grande conquista do Pan de Winnipeg-1999, passando por duas finais olímpicas (2000 e 2004) e cinco títulos de Jogos Pan-Americanos, sendo que até 2004 a seleção brasileira adulta de conjuntos treinou na UNOPAR em Londrina, instituição que manteve o investimento no trabalho de base, que agora foi novamente reconhecido com este excelente resultado. No individual temos ginastas paranaenses representando o Brasil em todas as categorias com títulos internacionais e participações em Mundiais e Copas do Mundo”, destacou.

A equipe da UNOPAR de conjunto é composta por Flavia Izidoro, Mel Gomes, Gabriella Coradine, Emily Almeida, Júlia Kurunczi e Rafaela Elias e tem como treinadora Juliana Coradine Castilho. Para o Mundial a equipe ganha o reforço da também treinadora da UNOPAR Dayane Camillo que será chefe de equipe brasileira em Moscou.

Após a competição, as ginastas do conjunto e Mariana com suas treinadoras, permaneceram em Monterrey até o dia 19 para um estágio técnico oferecido pela União Pan-Americana de Ginástica (UPAG), ministrado pelas treinadoras Elena Vitrichenko (Ucránia) e Borislava Ananieva (Bulgária).

Márcia Aversani reforça ainda a importância do Programa Talento Olímpico do Paraná - TOP 2020, este ano denominado de Geração Olímpica, na trajetória esportiva de todas as oito ginastas que representaram o Paraná e o Brasil no Pan-Americano do México. Também afirma que as ginastas só estão tendo chance de participar destas competições graças ao empenho de seus clubes, esforço dos pais e apoio do Governo do Estado do Paraná por meio das empresas COPEL e SANEPAR. 
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.